Stephen King - Saco de Ossos [resenha]


Saco De Ossos - Stephen King

Mike Noonan é um romancista de sucesso que vê sua vida subitamente transformada com a morte da esposa Jo. Quatro anos já se passaram e o sentimento é o mesmo - o desânimo, a tristeza, a sensação de que nunca mais será capaz de escrever. Diante da tela branca do computador, ele vê o vazio doloroso que passou a dominar seus dias. Nem mesmo o sono lhe traz alívio. Noonan é agora atormentado por terríveis pesadelos com Sara Laughs e a casa do lago - o recanto de sonhos onde ele e Jo foram tão felizes. Voltar à pequena cidade. Esta parece ser a única saída. Mike sente que precisa enfrentar o passado e tentar reencontrar seu caminho.

Sara Laughs, no entanto, já não é a mesma. Apesar da aparente tranqüilidade de sempre, sua comunidade vive atormentada pelo domínio cruel do milionário Max Devore, que não mede esforços para atingir seu grande objetivo: arrancar a neta de três anos da guarda da jovem mãe viúva. Pouco a pouco, Mike redescobre a paixão.

Mike Noonan reencontra um motivo para seus dias, mas a luta não será fácil. Além da fúria de Max Devore, Noonan terá de enfrentar forças estranhas e malignas que agora dominam Sara Laughs. Ele terá de descobrir de onde vêm os pesadelos cada vez mais terríveis que insistem em atormentá-los. Mike Noonan subitamente volta a escrever, mas não terá sossego até encontrar as respostas para as dúvidas que o atormentam. Que forças são essas que dominam a pequena cidade? O que esperam dela?

O QUE ACHEI:
Um livro que de início parece um pouco confuso, exatamente como ficará a cabeça de Mike Noonan após a morte da esposa. Naturalmente o costume de SK em fazer alguns rodeios e sua compulsão em detalhes - até mesmo detalhes aparentemente irrelevantes - podem tornar o início do romance monótono e cansativo. Entretanto, como veremos no decorrer da leitura, todos os pequenos detalhes descritos por ele terão o seu peso dentro da trama, nada é dito por dizer, de forma vazia, aleatória. 

Não gostei muito do início por esse motivo, a demora em se desenvolver a parte mais forte e dramática e/ou sobrenatural. Claro que, quando Noonan chega à casa do lago, coisas estranhas começam a acontecer, e nós leitores, claro, ficamos de orelhas em pé. Entretanto, até que o autor siga e junte todas as "migalhas de pão" deixadas pelo caminho narrativo e as atire todas dentro do foco central - o remoinho de terror - para formar o tão esperado clímax dramático, vai um longo tempo. Até lá prepare-se, leitor, para entrar no mundo da depressão particular de Mike Noonan, um escritor que perdeu a esposa tão amada, sente-se ilhado pelo medo da solidão, do bloqueio de escritor, dos problemas profissionais e pessoais. E, naturalmente, dos estranhos pesadelos que vão atormentá-lo enquanto está na "Casa do Lago", um verdadeiro labirinto de horrores do passado, presente e futuro, horrores esses dos quais muitos moradores da pequena comunidade fazem parte. Principalmente Max Devore, um velho horroroso dos pés à cabeça, feio por dentro e por fora. Um milionário que domina toda a vida comercial e financeira da região e que, por um acaso, vai conhecer Mike e odiá-lo pelo simples fato de que esse vai "desafiar" a autoridade do velho monstro. E, também, por causa da jovem e bela viúva Mattie.



Depois de apresentados a uma multidão de personagens, vivos e mortos (os fantasmas da história) e do terror particular de Mike, finalmente vamos encontrar os "xizes" da questão. Quem foi Sara Laughs, a cantora negra que morou e morreu naquela comunidade nos anos 20-30, qual a importância dela dentro da trama, quem é Mattie e Kia, por que o velho nojento Max Devore ("devore", um sobrenome que tem o sentido, em português, absolutamente de acordo com a personalidade do homem) odeia tanto as pessoas e por que todo mundo por lá o teme. E, o maior xis, quem é (ou quem "são") os fantasmas da Casa do Lago.


O final é de certa forma, um pouco decepcionante - já que por natureza os leitores querem sempre um final feliz para seus protagonistas. Entretanto o livro é uma obra, bem escrito, com frases memoráveis e um personagem bastante nauseante (Devore, claro) e inesquecível.


E ah, sim. Tem a minissérie "Saco de Ossos", igualmente interessante, porém se torna rasa se comparada com o livro, já que muitos assuntos são picotados, lances psicológicos ficam resumidos e algumas cenas memoráveis se transformam apenas em poucos e medíocres efeitos especiais.

Share:

2 comentários:

Panthera disse...

Esse é um dos meus livros preferidos de Stephen King! Vi também o seriado e gostei do mesmo jeito que do livro : Da um medo!!! 👻

Jossi disse...

Dá medo, sim... o enredo é bem rico, cheio de personagens carismáticas, algumas legais, outras totalmente depravadas. Mas o protagonista é um mocinho bacana e o final até que é satisfatório. Eu gostei muito!
:)