Charlaine Harris - Deadlocked (Morto num Impasse)


Deadlocked (2012), que eu traduziria como: "Morto num Impasse".

Com Felipe de Castro, o rei dos vampiros da Louisiana (e Arkansas e Nevada), na cidade, este é o pior momento possível para um corpo a aparecer no jardim de Eric Northman - especialmente o corpo de uma mulher cujo sangue só ele bebeu.

Agora, cabe a Sookie e Bill, o funcionário investigador da Área Cinco, resolver o assassinato. Sookie pensa que, pelo menos desta vez, o destino da jovem morta não tem nada a ver com ela. Mas ela está errada. Ela tem um inimigo, muito mais perigoso do que ela jamais iria suspeitar, que está presters a fazer o mundo de Sookie ruir.

O QUE ACHEI:

Novamente Sookie em maus lençóis! 

Adorei a nova tradução das meninas do Traduções e Digitalizações, sempre um passo à frente das editoras e trabalhando muito bem. Moçada esperta, fizeram uma tradução muito bacana e para quem transforma o texto em áudio (como eu, poupa tempo e é mais prático), fica tudo muito claro e perfeitamente compreensível: Sinceramente, acho que "soa" melhor que as dublagens de "True Blood".

Sookie entre os dois vampiros que ela amou: Erik (atual amor) e Bill (o primeiro amor)

Sookie vai sofrer mais um pouco, coitada. Seu namorado, o vampirão mais cobiçado do pedaço, Erik, pode amá-la mais do que tudo: porém quando as coisas ruins e o "olho-gordo" dos inimigos pousam em Sookie, nada resolve.

Ela vai ter de enfrentar a polícia, uma lobi (metamorfa que se transforma em lobisomem) mau intencionada e que ainda por cima, é namorada do seu amigo Sam... um bando de fadas (faeries) meio loucas... E no final, seu grande amor por Erik vai sofrer um duro golpe.

Mas tudo tem seu lado bom: Ela vai descobrir que alguém a traiu por cobiça e ambição, vai conhecer melhor seu tio-avô fada Dermot e seu bisavô-fada e a extensão do amor desses parentes por ela... reverá Alcide, o amigo lobisomem... e perceberá que nem tudo que reluz é ouro. 

Para mim o final do livro traz uma lição interessantíssima: Poder, riqueza, ambição, tudo isso só leva à perdas e inimizades. Prosperidade sóbria é uma coisa; riqueza apenas pela riqueza, luxo apenas pelo luxo e pela vaidade, tudo isso é vão. O que vai realmente pesar, no final das contas, é o sentimento verdadeiro, a amizade, a ternura e um coração fiel e generoso.

Sookie e seu patrão e amigo Sam

Os livros da série podem parecer repetitivos, apelativos, best sellerzinhos de sucesso relativo e temporário. Mas nos encantam pelo enredo bem tecido, pela boa disposição dos acontecimentos que se entrelaçam sem deixar pontas soltas e pelo bom caráter de Sookie (apesar de que, em um ou outro episódio ela possa parecer indecisa e até promíscua).

À parte a "lição de boa moça", o livro é um entretenimento legal, com algumas cenas divertidas, outras de muita ação e sobretudo, suspense, muito suspense. Como será o final dessa história? Sookie já teve vários namorados e uma paquera com o patrão (agora sócio), Sam. Namorou Bill (e esse continua apaixonado por ela), namorou (ou foi só uma paquera?) o lobisomem Alcide e finalmente, o metamorfo Quinn. De todos esses, eu (eu, bem entendido) ia preferir o mais normal, o mais tranquilo, o mais "humano" dentre todos os sobrenaturais: Sam. Mas... infelizmente a trama mostra outros caminhos e Erik, até o momento, tem sido o rei do coração da moça.

Gostei imensamente do final que Charlaine escolheu para esse livro, que prova o que falei sobre a verdadeira fidelidade e a verdadeira generosidade. Sookie mostrou mais uma vez que é generosa.

Nota dez e que venha logo a continuação!

Share:

1 comentários:

Arismeire Kümmer Silva disse...

Nem cheguei a terminar direito o primeiro livro da série e a adaptação para TV vi até o penúltimo ep da primeira temporada. Não fechei com as histórias e a Sookie me deixa irritada ^^
Bj, Aris.