Lendas Americanas com Seres Pé-Grandescos [download]


No noroeste e oeste das Rochosas, geralmente, os índios tratam o pé-grande (bigfoot, bigfute) com grande respeito. É visto como um tipo especial de ser por causa de sua óbvia relação íntima com os humanos. Alguns anciãos o consideram se erguendo no limite entre as consciências animalesca e humana, o que lhe dá um tipo especial de poder. Não aquela relação de tornar o pé-grande superior a outros animais. Na cultura indígena, distinta da ocidental, animais não são considerados inferiores aos humanos mas irmãos mais velhos e professores. Nas culturas tribais estão em todos os lugares, baseados em relação e afinidade. Quanto mais íntima a afinidade, mais forte o laço. Os índios anciãos no noroeste se recusam a comer carne de urso por causa da semelhança do urso com os humanos. E o pé-grande é, obviamente, muito mais semelhante a humanos que o urso. Como seres que misturam o conhecimento natural de animais com algo do tipo distinto de consciência chamada inteligência, que os humanos têm, o pé-grande é considerado um tipo especial de ser.
Mas sendo especial como é, nunca tive notícia dalguma tribo noroestina sugerindo que o pé-grande é algo diferente dum ser físico e vive nas mesmas dimensões físicas que os humanos e outros animais. Come, dorme, defeca, quer a companhia dos familiares. Porém, entre muitos índios noutros lugares na América do Norte, como extensas regiões delimitadas pelos ropi, siux, iroquês, e atabasco setentrional, o pé-grande é visto mais como um tipo sobrenatural ou espírito cujo aparecimento aos humanos sempre traz algum tipo de mensagem. (...)"

Agradecimentos ao Mario Jorge, por esse inestimável trabalho de tradução!



Share:

0 comentários: