Joseph Delaney - Livro 1 - O Aprendiz do Mago


O Aprendiz - As Aventuras do Caça Feitiço Vol. 1 - Joseph Delaney

Thomas Ward é o sétimo filho de um sétimo filho e se tornou aprendiz do Caça-Feitiço. A missão é árdua, o Caça-Feitiço é um homem frio e distante, e muitos aprendizes já fracassaram. De alguma forma, Thomas terá de aprender a exorcizar fantasmas, deter feiticeiras e amansar ogros. Quando, porém, é enganado e cai na armadilha de libertar Mãe Malkin, a feiticeira mais malévola do Condado, tem início o horror... e uma grande aventura!

O aprendiz, primeiro livro da série de fantasia As aventuras do Caça-Feitiço, escrito por Jospeh Delaney (e traduzido pela prestigiada Lia Wyler, responsável pelo texto em português da saga de Harry Potter), que já vendeu centenas de milhares de exemplares em todo o mundo, é uma história repleta de emoção e muitos, muitos sustos. Por isso, cuidado: não deve ser lido à noite!

Muito bem, rapaz. Você está aprendendo. Somos os sétimos filhos de sétimos filhos, e temos o dom de ver coisas que os outros não podem ver. Mas esse dom, de vez em quando, pode se tornar uma maldição. Se tivermos medo, às vezes poderão aparecer coisas que se alimentam desse medo. O medo piora tudo para nós. O truque é nos concentrarmos no que vemos e pararmos de pensar em nós mesmos. Sempre resolve.”

O QUE ACHEI: 
Publicado em Portugal sob o título "O Aprendiz do Mago", esse primeiro livro da série é muito interessante. Uma leitura curiosa, colorida, com emoções bem fortes para um livro infanto-juvenil e cenas grotescas e assustadoras, o primeiro livro de Joseph Delaney promete que a série toda vai ser bacana.



O ano em que se passa a história me parece um grande mistério, mas acho que eu chutaria lá por 1600 e lá vai pedrada. Ou 1700 e pouco. 

O jovem Thomas parece que terá um grande e difícil destino. Grande, porque não duvido nada que ele se tornará um dos maiores  (se não, o maior) mago do mundo. Difícil, porque nesse livro não há nenhuma das regalias potterianas, por exemplo. Nada de varinhas, de palavras mágicas, de feitiços lançados verbalmente com ajuda de uma vara de condão ou de poções maravilhosas, que podem fazer você se transformar em outra pessoa. Não, nada disso. Aqui, a coisa é mais realista.



Claro, "realismo" em termos. Também tem bruxas, demônios, feitiços, monstros, mas o trabalho do Mago (Caça-Feitiço) e do seu assistente é muito mais pesado. Eles andam muito a pé (cadê as vassouras?), passam fome, são afetados pelo medo, pela dúvida e, o pior: São desprezados pelo povo das aldeias. Ninguém curte muito o "ofício" de mago e seus apelos sobrenaturais.

Ainda assim, o livro é dos meus. Boa história, com muito suspense, doses certas de terror, cenários sombrios, personagens carismáticos. A menina Alice (aprendiz de bruxa que acaba se tornando companheira de Tom) é uma figurinha interessante. De todos os personagens, os que mais me cativaram, além do garoto Tom, claro, foram sua mãe - sempre sábia e com uma autoridade indiscutível - e a jovem Alice.


Share:

0 comentários: