Chris Wooding - O estranho destino de Poison


O Estranho Destino de Poison - Chris Wooding

Voluntariosa, determinada, mas presa em Gull, aldeia situada em um pântano, a garota Poison se ressente da vida que leva. No Reino das Fadas, além dos limites de Gull, a história é outra: lá as coisas acontecem - e muitas vezes interferem no monótono Reino dos Homens. Como, por exemplo, o rapto de Azalea, a irmã ainda bebê de Poison. O resgate de Azalea levará Poison ao misterioso reino vizinho, repleto de paisagens assombrosas. E ela começará a descobrir um mundo de intrigas, habitado por semideuses sinistros que conspiram para destronar Hierofante, o mais poderoso de todos os senhores dos reinos. Pois Hierofante voltou a escrever, e sua pena decide o destino de todos... 

Nesse universo fantástico, Poison constata que toda a sua vida - seus pais, o pântano, seus amigos - é uma ficção de Hierofante e que o controle sobre seu destino é uma ilusão. Contando apenas com a própria inteligência, Poison vê-se obrigada a lidar com inimigos que surgem sempre mais ardilosos. É uma longa jornada, porque no Reino das Fadas o tempo corre de maneira diferente... Poison precisa não só recuperar a irmã como também mudar o fim da história que Hierofante está escrevendo... que pode pôr fim à raça humana.

Editora: Arxjovem
ISBN: 8589189406
Ano: 2004
Páginas: 273

O QUE ACHEI:

O início te leva a crer em um livro bem "fantasia", daqueles em que tudo é aventura, suspense e maravilhosos cenários, com desenlaces surpreendentes.
Começa assim. Eu me empolguei, até mais ou menos, metade do livro... aí, após as andanças de Poison e todo o desenrolar de uma aventura que prometia mundos e fundos, a coisa começa a degringolar.
O que mais atrai na história, é justamente a fantasia e o suspense que envolve tudo. O clima gótico e bizarro dos pântanos de Gull, onde Poison nasce e vive até a adolescência é curioso, deixa o leitor surpreso: As casas do povoado exótico são palafitas, construídas sobre rios onde peixes perigosíssimos e monstros venenosos vivem, sempre à espreita. Os insetos dos bosques são tão venenosos e esquisitos quanto os peixes dos lagos e rios.


Quando ocorre o rapto da irmãzinha de Poison, Azalea, pelo súdito do rei das fadas, tudo leva a crer que haverá uma aventura para o resgate da pequena... Há, inclusive, a insinuação de que tanto o pai, quanto a madrasta de Poison - levados a crer que ela fugiu de casa - ficarão felizes no fim da história, quando ambas as filhas hão de retornar...

Poison irá atrás da irmãzinha, passando por lugares, cidades, reinos os mais estranhos... Entretanto, não acontece muita coisa do que se espera ou do que seria o natural de acontecer, numa história fantástica como essa.

A reviravolta final na história deixará o leitor tradicional em profunda depressão - exatamente como a própria Poison vai ficar, ao descobrir certas coisas... É claro que há leitores e leitores. Aqui fica registrada a minha opinião, não uma crítica (mesmo porque não sou uma crítica literária, apenas leitora como todos vocês).



É claro que os gostos variam... muita gente leu e gostou. Entretanto, esse tipo de final "surpreendente" me deixou com cara de tacho. Os destinos dos personagens iniciais não são, absolutamente, característicos de uma história juvenil de fantasia. Soou estranho, quase absurdo aquele final.


Enfim... Uma história que poderia ter tido um final bem mais agradável e compatível com a temática. Mas não teve, infelizmente.
Share:

1 comentários:

Unknown disse...

Bon livro! Muito bom recomendo.