Neil Gaiman - O Oceano no fim do caminho


O Oceano no Fim do Caminho - Neil Gaiman

Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos. Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deveriam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino.

Ele sabia que os adultos não conseguiriam — e não deveriam — compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha, estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano.

O QUE ACHEI: 
Meu primeiro livro de Gaiman, esse tão alardeado "excelente" autor de fantasia.
Dizem que o livro é o primeiro dele em fantasia para adultos. Pode ser, porque tem um ou outro trecho não recomendado para menores de 18... fora isso, é um livro com uma fantasia tão bizarra e amalucada quanto qualquer livro infanto-juvenil.

Não entendi exatamente o que a crítica anglo-americana (e a maioria dos leitores brasileiros) querem dizer quando elogiam tanto essa obra. Um livro pequeno para os padrões atuais (se comparado aos da saga Harry Potter, p. ex.), se bem que isso não tenha a ver com qualidade literária, o livro não tem nada de grandioso ou qualquer trama que se possa qualificar como "inesquecível". 



Uma fábula? Pode ser. O protagonista é um homem que volta ao cenário onde na infância, viveu uma aventura fantástica, com tudo o que algo do tipo tem direito: Uma babá misteriosa, uma família (que mora numa antiga casa no fim da rua) simpática, animais de estimação bizarros, criaturas mágicas (ou monstruosas?), um "mundo paralelo" (ou apenas sonhado?), enfim... 

Os elmentos para uma fábula estão todos aí. Lettie Hempstock é uma menina que mora na casa do fim da rua, e o que ela chama de ocenao é um lago nos fundos da propriedade. 

Entretanto, esse lago é mais que apenas um lago. Um oceano primordial. Um mundo primevo. E, desencadeadas por um acaso qualquer, forças primordiais perigosas são desencadeadas, pondo todo nosso universo visível em risco.

Ilustração de Jessie Wilcox Smith

O livro é estranho para quem não está acostumado a uma narrativa cheia de analogias e metáforas subliminares. Mas na verdade é disso que se trata: Portanto, não é uma narrativa explicitamente fantasiosa como, a título de exemplo, Harry Potter, a saga O Senhor dos Anéis ou a saga 'Crepúsculo'. Concordo em que a narrativa é bem entretecida de  sutilezas e, talvez por isso, interessante. 

Na minha opinião, entretanto, o livro tem um clima muito sombrio e surreal, em que tudo o que se questiona é: O que signica isso? O que é o oceano? Quem são as Hempstocks? Que diabo de coisa é essa?

Um final idílico, mas nada esclarecedor.


Share:

3 comentários:

Arismeire Kümmer Silva disse...

Comprei O Oceano no fim do Caminho esta semana e ainda não li. No momento estou relendo Fumaça e Espelhos, para escrever uma resenha. Sou fã de Gaiman desde os 18 anos, quando descobri os quadrinhos de Sandman, escrito por Gaiman, com capas belíssimas de Dave McKean e vários artistas ilustrando a série.Eu sou suspeita para falar... tenho toda a coleção de luxo de Sandman, a maior parte das edições especiais como Bruxaria, Morte e adaptações de contos, Stardust e o belíssimos Dream`s Hunter, ilustrado pelo Yoshitaka Amano. De livros tenho as coletaneas de Sonhos, Fumaça e Espelhos, Neverwhere, Coraline, O livro do cemitério... ufa, muitas coisas. Só não me afeiçoei muito a Coisas Frágeis e a serie Deuses Americanos, que é muito direcionada ao publico masculino. Sobre o Oceano no fim do caminho posso te dizer que era para ser um conto curto, que Gaiman escreveu de presente para a esposa, para que ela o conhecesse um pouco mais, mas acabou virando um livro pequeno :-)
Se vc procurar no meu blog já tem várias resenhas de livros dele ^^
Bj, Aris.

Amor e Livros disse...

Puxa, Aris. Vejo então que você é tão fã do Gaiman quanto eu sou do velho Dr. Robin Cook, hehehehe... aliás, parece que desse autor os brasileiros não gostam muito, visto nenhum comentário nas resenhas dele. Mas eu tenho mesmo uns gostos bem esquisitos, como suspense médico, romances com zumbis e do escritor "maldito" (para as elites midiáticas brasileiras) Gustavo Barroso, rs.

Quanto ao Gaiman esse foi apenas meu primeiro livro dele e não sei se lerei outros. Mas se você diz que ele é bom, acho que ficará anotado e pode ser que eu vá de "Stardust", cujo filme me agradou.
Então esse livro era para ser um conto? Interessante informação, Aris! Veja, eu também tenho essas manias, rs... embora não seja escritora "profissa", vários contos que escrevi acabaram se "alongando" e viraram livretos (como 'O Príncipe de Cristal', p. ex.).

Obrigada pela presença constante no blog e volte sempre: você é essencial aqui, amiga!!!
Bjoss
:)

Arismeire Kümmer Silva disse...

Olá :-D
Eu li um livro do Robin Cook quando tinha uns 13/14 anos, acho. Se não me engano era Esfinge. Acredita que não lembro de nada? Preciso reler. O que a gente não gosta ou não nos marca numa época, pode mudar e muito com o tempo. Engraçado que eu lembro da trama de livros que odiei e eu acho que gostei de esfinge. Você já assistiu a série curtinha feita ano passado (se não me engano) de Coma?Ainda não vi, mas vou baixar para matar a curiosidade.
Sobre "Oceano..." terminei de ler e chorei feito criança, hahahahaha. Achei o final muito triste e o livro me lembrou as história do Gaiman para sandman, só que menos sombrias. Quando ele escrevia Sandman e antes de fazer parceria com Terry Pratchett e de escrever livros infantis e infanto-juvenis ele escria coisas muito mais sombrias e bizarras. mas eu sou suspeita. Gaiman é um de meus autores favoritos (todos eles ingleses) :-D
Pode contar comigo sempre. Temos gostos parecidos para leitura e ás vezes lemos os mesmos livros, tendo opiniões diferentes. Isso é divertido ^^
Além disso, acho que só nos duas gostamos de livros que não estão na crista da onda (com algumas exceções). Sigo alguns blogues que só postam sobre lançamento de livros sem nunca variar o estilo de literatura. Confesso que os acho chatos e só segui por conta de alguma promoção, hahahahaha. Bj, Aris.