Tess Gerritsen - Gravidade [resenha]


Gravidade - Tess Gerritsen. Ou o título ideal seria "Microgravidade"?

A PESQUISADORA Emma Watson está prestes a realizar a missão mais importante de sua vida: estudar o comportamento da vida terrestre no espaço. Escolhida pela Nasa para conduzir uma série de experimentos sobre o comportamento de organismos unicelulares, a Dra. Watson logo descobre a natureza aterrorizante desses organismos e precisa correr contra o tempo para conter uma doença mortal que pode ameaçar a Terra. Tess Gerritsen se aventura no campo do desconhecido, e o resultado é este suspense que mistura, de forma brilhante, ficção científica e medicina.

O QUE ACHEI:
UM dos melhores suspenses de Tess Gerritsen e talvez, de tudo o que já li: Suspense médico da melhor qualidade. Aliás, não é apenas suspense médico, é também excelente ficção científica, mostrando e explicando nos mínimos detalhes como é a viagem de um astronauta para o espaço e como se comportam os organismos (humanos e animais) num ambiente de micro-gravidade.

Sempre fui fã de fc, mas isso aliado ao suspense médico, tornou esse livro uma leitura obrigatória para mim, com todos os ingredientes que aprecio. Apesar de toda a linguagem técnica - o que não tira o sabor de uma boa narrativa, desde que seja perfeitamente explicada - o livro conduz o leitor pela mão, ensinando-o sobre diversas facetas da vida dos astronautas, seus relacionamentos afetivos, sua relação de profunda reverência e amor pelas "estrelas" (a vida no espaço), o que pode acontecer durante crises numa estação espacial, onde nada favorece ao ser humano (acostumado à gravidade), o perigo sempre rondando, o medo de nunca mais voltar à Terra, etc.



O livro, apesar de atulhado de siglas e termos técnicos é, como falei, fácil de ser lido e entendido. A narrativa é "simpática", digamos assim, flui com agilidade e equilibra muito bem o suspense, o terror e o romance.

Quando somos conduzidos junto com a Dra. Emma para a estação espacial e nos deparamos com o perigo, na forma de uma cultura de microorganismos aparentemente inofensiva, a tensão sobe em muitos graus. É quase como ver um filme de ficção, lembrando em alguns momentos, "Alien", de Allan Dean Foster e transformado no maior sucesso de bilheteria da história cinematográfica.

O que sentiríamos nós, no lugar de Emma - sozinha, lutando com poucas armas contra um inimigo terrível, que acabaria dizimando seus colegas astronautas da forma mas bizarra e horrorosa? O que sentiríamos, ao nos vermos presos numa "tumba cósmica", sabendo que ao sermos expostos à contaminação, jamais obteríamos licença para voltar à Terra, à família, à vida?


Ela se sentirá assim... Mas Jack, o ex-marido (de quem ela ainda gosta, embora não admita), um médico e astronauta também, estaria observando-a da Terra. Ele iria lutar para salvá-la, apesar de a NASA e o governo americano não olharem mais para Emma como antes, já que ela seria exposta ao terrível microorganismo.

Mais não vou dizer, sob pena de contar coisas proibidas para os futuros leitores. Digo, entretanto, que a leitura é altamente recomendável! Tanto meninas quanto meninos vão adorar, já que traz ingredientes que agradam aos homens (suspense, ação, adrenalina) como às mulheres (suspense, conflitos emocionais e romance).

Muito bom, vai para o topo da minha estante, junto de outros livros preciosos do suspense médico (Robin Cook e Michael Crichton).


Share:

0 comentários: