Jason Dark - A Deusa da morte

                    A deusa da morte renasce para espalhar o pânico pelo mundo...


A Índia cheia de mistérios!

Uma terra perigosa, enigmática, que repentinamente é assolada pelo terror. Os servos da Deusa da morte, Kali, de seis braços, estavam novamente ativos. E encontravam as suas vítimas. Nas cidades, nas aldeias, no jângal – a selva indiana.
Somente havia poucas pessoas que não temiam Kali e os seus servos. Uma delas era Mandra Korab, meu amigo. E foi ele quem me chamou para a Índia.
Para mim aquele foi quase um vôo fatal.

Editora: Ediouro
Ano: 1982
Páginas: 85

O QUE ACHEI:
Pertencente à coleção "Drácula" da Ediouro, coleção com livros de bolso, com temática terror,  do autor Jason Dark, e que até hoje fazem sucesso nos Estados Unidos.

Esse livro não é ruim, para quem gosta desse gênero de terror "pulp fiction", e conta as aventuras de John Sinclair, um detetive inglês da Scotland Yard que, ao contrário dos tradicionais policiais, luta quase exclusivamente contra espíritos e demônios.

Segundo a Wikipédia inglesa, traduzida:
"O personagem John Sinclair - A partir de 1973 Jason Dark começou a escrever histórias de horror detetivescas, uma variada pulp fiction, centradas em um inglês da Scotland Yard, o inspetor John Sinclair. O sobrenome deste último foi inspirado em "Sinclair", personagem interpretado por Roger Moore na série de TV popular década de 1970, The Persuaders . As histórias (geralmente com cerca de 100 páginas) foram na sua maioria publicadas como revistas pulp e já alcançou o impressionante número de cerca de 2.000 livros vendidos. Os temas geralmente implicam na luta do Inspector Sinclair contra as forças das trevas ( vampiros,  lobisomens, feiticeiros e zumbis , etc.) e vence-los no final de cada conto. "


Em A Deusa da Morte, John vai enfrentar, nada menos que Cali, a deusa indiana da morte e do mal. O tema não é, em absoluto, original e vários livros, seriados e filmes já tiveram a mitologia indiana (e outras mitologias) como tema central. A deusa Cali (não em pessoa, mas na pessoa de seus seguidores) também foi tema do filme "Indiana Jones no Templo da Perdição" e não duvido nada que os produtores dessa série cinematográfica tenham se inspirado, em parte pelo menos, nas histórias de Jason Dark...

John Sinclair, assim como Indiana Jones, vai para a Índia a convite de seu amigo Mandra Korab, para investigar uma série de mortes e ocorrências estranhas, todas com indícios que apontam para os seguidores da deusa Cali. E não estavam errados, pois no próprio aeroporto de Londres eles vão se deparar com um dos adeptos de Cali, enviado a Europa, que tentará detê-los, mas será facilmente derrotado pelas armas "consagradas" de Sinclair.

A história é uma variada mescla de ação, aventura e algum suspense (este em menor dose). Fala um pouco da Índia e das míseras condições do povo, mas de forma muito rápida e resumida, voltando-se mais para as aventuras mais ou menos absurdas de Sinclair e seus amigos - se bem que, hoje em dia o que era "absurdo" nas décadas de 40 a 70, é denominado "fantasia" e tem maior aceitação pelos leitores jovens, que a chamada literatura de qualidade.

Enfim, um livrinho que os jovens, rapazes ou moças, podem apreciar. Mas após a leitura, cuidado com os pesadelos, envolvendo deuses hindus e colares de cabeças humanas...

Share:

0 comentários: