Danielle Steel - O Fantasma

Em O FANTASMA, o arquiteto americano Charlie Watson radicado em Londres volta à sua terra natal, arrasado com o fim de um casamento perfeito de dez anos. De férias, Charlie acaba deparando-se com uma antiga construção - um castelo construído por um conde francês para sua amante, Sarah Ferguson, cuja história vai sendo descortinada à medida em que lê os diários da condessa.

Com isso, Danielle Steel narra duas histórias paralelamente - a da vida de Sarah Ferguson que, assim como Charlie, fugira de Londres após um destruitivo casamento com um aristocrata inglês. E a de Charlie, que tenta recosntruir sua vida sentimental após o fim de seu casamento.

O QUE ACHEI:

É uma história bem água-com-açúcar, com pitadas generosas de dramalhão mexicano. O sobrenatural fica por conta de uma ou duas apareições do 'doce fantasminha' de Sarah Ferguson. Mas não existe nada de 'amores sobrenaturais' ou coisas do gênero. O livro é bem pé-no-chão, bem realístico, contando inclusive como era a vida das damas americanas do século XIX, uma vida repleta de privações, machismo e crueldade.

 

E além do drama contado pelo diário de Sarah, o protagonista também vive um drama à parte, que nos enoja, de certa forma, pela teimosia do homem em aceitar que foi "chutado" pela ex-esposa. Achei que nessa parte, Danielle Steel exagerou: Que homem vai ficar lamentando o divórcio durante um ano inteiro, ainda mais quando a 'ex' já comprovou que o traía e se casou com o rival?

Muito pouco masculina a atitude de Charlie Watson, no meu entender, embora - no fundo -  suponho que toda mulher deva desejar que os homens fossem como ele, um eterno apaixonado, romântico incorrigível. Mesmo assim, quando isso é tratado como temática de romance, onde geralmente os heróis (mocinhos) sempre se mostram mais firmes e de vontade forte, Charles Watson toma uma forma meio caricatural, quase incompatível com a realidade.
Eu daria nota 6,0 para esse romance.



Share:

0 comentários: