C. W. Leadbeater - Auxiliares Invisiveis

AUXILIARES INVISÍVEIS
C. W. Leadbeater

A Humanidade, desde por certo as longínquas eras do período paleontológico em que passou à classe dos homínidas e em que vivia em cavernas, competindo, em ferocidade e irresponsabilidade, com animais, e fazendo frente, a corpo descoberto, aos elementos da Natureza — sempre teve a crença, de acordo com a tacanhez do seu cérebro, no auxílio de seres invisíveis.

E a prova o temos nos seus rituais e objetos de feição religiosa, que as escavações fósseis nos revelaram.

Essa crença, se bem tenha perdido as suas características selváticas, continua na era neontológica, isto é nos dias de hoje. É uma chama viva cada vez mais ardente.

Parodiando a asserção daquele filósofo de que se Deus não existisse precisaríamos inventá-lo, podíamos dizer que (cont. na outra dobra) se não tivéssemos certeza da existência super-natural de seres amigos, nós os inventaríamos. Porém a invenção não seria nem é necessária se tomarmos conhecimento desta excelente obrinha de C. W. Leadbeater: Auxiliares Invisíveis, que apresentamos ao nosso público em escorreita tradução vernácula.

Os auxiliares invisíveis, como o autor chama aos Espíritos fora do corpo somático, se fazem sempre presentes, acudindo a uns e a outros de maneira diversa. C. W. Leadbeater é um teosofista ilustrado, cujas palavras, pela sinceridade dos conceitos, merecem ser ouvidas.

É lógica e verdadeira a sua dissertação acerca dos auxiliares que, atuando numa vida superfísica, colaboram com o indivíduo terreno. Os casos por ele relatados são verídicos e a alguns deles outros autores, de não menor nomeada, fizeram menção. É pois com viva satisfação que pomos nas mãos dos nossos leitores mais uma obra de que só poderão auferir nsinamentos e proveito espirituais.

O QUE ACHEI:

Esse não é um livro de ficção, nem religioso ou autoajuda. Mesmo assim, gostaria de resenhá-lo, pois contém alguns temas e assuntos importantes para quem tem um mínimo de espiritualidade.

C. W. Leadbeater é um famoso teosofista (1), seguidor das teorias e ensinamentos de Madame Blavatsky (2) e seus livros são muito procurados e estudados por esotéricos, místicos e pessoas que acreditam na sobrevivência do espírito após a morte e na superioridade do mesmo sobre a matéria.


Durante muito tempo, eu me apaixonei - literalmente - pela doutrina dos anjos e seres superiores que existiam e auxiliavam o ser humano, em sua trajetória pela vida. Não que acreditasse piamente em reencarnação (que é um dos principais fundamentos da Teosofia), mas os livros de alguns famosos teosofistas (como Annie Besant, Dion Fortune e Mr. Leadbeater) sempre me inspiraram e, de certa forma, me confortaram em alguns momentos difíceis, pois ensinavam que a nosso corpo físico é apenas um entre vários outros corpos, de variadas densidades. E que a morte do corpo físico era somente uma passagem desta para outras dimensões, nas quais ingressamos ou com consciência e, portanto, sabendo vencer as barreiras ou de forma inconsciente e nesse caso... tendo de sofrer muito até "conquistar" o mundo novo que se abre ao espírito. E que esse imenso leque de possibilidades dimensionais são como selvas ou cidades, onde tanto podem existir coisas e seres bons, coisas e seres ruins.



 Nesse livro, Leadbeater fala especificamente dos "auxiliares". Estes não são todos anjos, tal como imaginamos e tal como nos ensinam a maioria das religiões, mas podem ser 'Adeptos' ou seres humanos "encarnados" ou "desencarnados". Essa é uma ideia original e sem dúvida, surpreende. Todos imaginamos que nosso "anjos da guarda" seriam seres de natureza dévica o angélica, mas segundo os teosofistas, a maioria deles são seres humanos temporariamente fora do corpo. Ou seja, seres humanos no caminho da evolução, que escolhem volutariamente 'servir a humanidade' e que, durante o sono, deixam seus corpos e com seu espírito envolvido pelo corpo astral vão prestar auxílio a pessoas em perigo.

Uma das narrativas chama nossa atenção.

"Um caso notável, em que algumas crianças foram anormalmente protegidas, deu-se nas margens do Tamisa, ao pé de Madenhead, uns anos antes do exemplo citado. Desta vez o perigo de que elas foram salvas proveio, não do fogo, mas da água. Três pequeninos, que viviam, se bem me recordo, na aldeia de Shottesbrook, ou perto, foram levados a passear pela criada pela estrada de reboque. Ao virarem uma curva, foram de encontro a um cavalo que rebocava uma barcaça, e como, com a confusão, duas das crianças se colocassem entre o cavalo e a margem foram apanhadas pelo cabo de reboque e atiradas para dentro da água.

O barqueiro, que viu o desastre, adiantou-se para as salvar, e reparou que elas estavam boiando alto na água, "de modo esquisito", disse ele depois, e aproximando-se lentamente da margem. Foi quando ele e a criada viram, mas as crianças ambas declararam que "uma criatura muito bela, toda branca e brilhante" esteve ao lado delas na água, e as amparou e guiou até a margem, E esse relato não deixou de encontrar quem o confirmasse, porque a filhinha do barqueiro, que surgiu da câmara da barcaça quando ouviu os gritos da criada, também afirmou ter visto uma linda senhora na água, a arrastar as duas crianças para a margem.

Sem mais detalhes do que estes, é impossível dizer com certeza a que classe de auxiliares esse "anjo" pertencia; mas o mais provável é que se trate de um ente humano desenvolvido, funcionando no corpo astral, como adiante veremos, quando tratarmos do assunto do lado inverso por assim dizer - isto é, do ponto de vista dos auxiliares e não dos auxiliados."
Este é um livro curioso, interessante, seja qual for a religião ou a crença do leitor, importando apenas que acredite na existência da vida espiritual.

_________________________

(1) Charles Webster Leadbeater (Londres, Inglaterra, 16 de fevereiro de 1847 — Perth, Austrália, 1º de março de 1934), foi sacerdote da Igreja Anglicana e Bispo da Igreja Católica Liberal, clarividente, escritor, orador, maçom e uma das mais influentes personalidades da Sociedade Teosófica. - Fonte: Wikipédia.

(2) Elena Petrovna Blavatskaya (em russo: Елена Петровна Блаватская, Ekaterinoslav, Império Russo, atualmente na Ucrânia, 30 de julho - 31 de julho de 1831 (c. juliano) (12 de agosto de 1831 (c. gregoriano)) — Londres, 8 de maio de 1891), mais conhecida como Helena Blavatsky ou Madame Blavatsky, foi uma prolífica escritora, filósofa e teóloga da Rússia, responsável pela sistematização da moderna Teosofia e co-fundadora da Sociedade Teosófica. - Fonte: Wikipédia.


Share:

0 comentários: