Frank de Felitta - As duas vidas de Audrey Rose



 Uma história que dá sustos, mas também leva a profundas reflexões.


Janice e Bill Templeton são um casal que vive feliz com sua filha única, a bem-comportada pré-adolescente Ivy. Essa imagem de família feliz começa a ser decomposta com a chegada do estranho Elliot Hoover. Depois de suspeitas de que ele pretende molestar Ivy, Hoover tenta convencer aos pais que seu interesse (quase uma obsessão) pela garota é apenas paternal. Para ele, a menina é a reencarnação de sua filha, falecida em um terrível acidente, quando ela ficou presa no automóvel, e morreu entre as chamas. Coisas estranhas começam a acontecer a partir desse momento e a vida de Bill e Janice com sua Ivy jamais voltará a ser como antes.

O QUE ACHEI: Embora tenha guardado o livro por muitos anos, por causa de sua relativa fama, para ler numa ocasião propícia, essa ocasião nunca chegava... até que resolvi por mãos à obra.

Embora seja antigo (o copyright é de 1975) e embora hoje em dia a literatura chamada "paranormal", fantástica, sobrenatural seja vendida mais do que alface em feira, esses livros da década de 70, 80 e 90 tem uma qualidade literária incontestável, superiores a quase maioria dos livrinhos descartáveis de hoje em dia. Não dá para comparar o livro de Frank de Felitta a uma dessas leituras "frescas", que explodem do dia para a noite e são esquecidas no mês seguinte, como por exemplo, livros da autora Alexandra Adornetto, Melissa Marr, Becca Fitzpatrick e outros do gênero.

Nesse livro, há toda uma junção de histórias paralelas: O drama vivido pelo casal Templeton, o drama vivido no passado por Elliot Hoover, as viagens e peregrinações de Hoover à Índia, em busca da iluminação e cura para as feridas de sua alma, o julgamento e a vida "dupla" de Audrey Rose, que Hoover acredita ter reencarnado em Ivy.

O suspense inicial é intenso. O leitor nunca consegue parar de ler, ansioso, curioso, querendo saber quem é o cara que "persegue" a família Templeton. E por quê ele faz isso.

A parte esse suspense, Janice, que é a pessoa mais sensível de todo o livro (junto com Hoover), nota que os pesadelos e episódios de sonambulismo de Ivy voltam com total intensidade, deixando-a desesperada e nervosa. Bill, que de início é um marido e pai carinhoso, não consegue ver as verdadeiras proporções do terror que se avizinha, e pouca coisa faz para resolver o problema real. O que ele faz, do meio para o fim do livro, são coisas que só visam fortalecer o seu próprio ponto de vista materialista, egoísta e ciumento.

Para não deixar spoilers para quem for ler o livro, só digo que o livro é de uma intensidade dramática comovente, iniciando com um suspense terrível. No bom sentido.

Da metade para o fim, há um julgamento, que muitos leitores poderão considerar tedioso, já que fugirá rapidamente do enredo inicial e do tema sobrenatural, esmiuçando detalhes legais quanto a ações e comportamentos dos envolvidos. Embora no meio dissso haja o debate sobre a "reencarnação", ainda assim alguns vão achar essa parte chata. Eu não achei: Ao contrário, li cada trecho com voraz curiosidade, já que estava ansiosa para saber se, afinal, o réu conseguiria conquistar a simpatia dos jurados e a defesa, provar o seu ponto de vista peculiar e bizarro.


  Hoover consolando Ivy, durante uma de suas crises.

Gostei do advogado Brice Mack, um jovem judeu pobre, que lutou na vida para chegar até ali, mas cuja carreira não parecia promissora... até encontrar aquele caso, que envolvia a luta de uma família pela sua vida, pela sua liberdade de ação e de um homem - o inimigo - que eles viam como um rival que queria tomar-lhes o amor da filha.

Mas o livro não tem mocinhos nem bandidos: Traz o debate simples e direto sobre a reencarnação, as provas da mesma, uma ficção e também uma meditação sobre o assunto.

É um livro de terror? Sim, pode ser. No começo, principalmente. Você vai ver certas cenas e imaginar que deve "ser como o livro 'O Exorcista'". Não é bem assim. Não há nenhum demônio aqui, mas o espírito da menina que morreu queimada se rebela diante de uma encarnação que foi, sob todos os aspectos, rápida demais. Essa é a raiz da questão.

O clímax da história foi bem trabalhado pelo autor, exatamente como eu queria que fosse. Entretanto, esse clímax leva a um final inesperado, como ninguém imaginaria.

Um excelente livro, que eu recomendo como 'clássico do sobrenatural' para todos os amantes da literatura fantástica.

Obsevação: O próprio Felitta escreveu um roteiro para o cinema, e o filme foi lançado em 1977, com Anthony Hopkins no papel de Elliot Hoover. Mas... não dá para comparar o filme, com seus parcos recursos de efeitos, com o livro. O filme é fraquíssimo, o livro dá de 10 a zero.

Uma continuação desse livro chama-se Por Amor a Audrey Rose e você pode ler AQUI a resenha.
Para quem não conseguir encontrar o livro em sebos, há um arquivo RTF AQUI.

Share:

7 comentários:

KAMALEOA disse...

PROCURO HÁ MAIS DE 20 ANOS ALGUÉM QUE TENHA LIDO O LIVRO QUE DÁ CONTINUIDADE AO FILME "AS DUAS VIDAS DE AUDREY ROSE" PORQUE EU LI ESTE LIVRO(CONTINUIDADE) E TODOS ME DIZEM QUE O LIVRO QUE EU LI NUNCA FOI EDITADO E NEM ESCRITO PELO AUTOR FRANK DE FELLITA E QUE ESTOU LOUCA, MAS EU SEI O QUE LI E CONHEÇO TODA A ESTÓRIA QUE DÁ CONTINUAÇÃO AO LIVRO E FILME. ALGUÉM ME AJUDA A PROVAR QUE NÃO ENLOUQUECI??

Jonatas disse...

Eu li parte do livro que vc diz, KAMALEOA, e só não li tudo por ue não gostei muito! O nome do livro é Por Amor a Audrey Rose, que narra a reação dos pais depois que Ivy morre no primeiro livro. Se procurar na internet, com certeza vc acha alguma coisa sobre isso.

Jonatas disse...

Eu já comecei ler esse livro que vc menciona, KAMALEOA, e só não termineit porque não gostei muito, mas o livro é Por Amor a Audrey Rose e narra o que aconteceu com os pais e com Hoover depois da morte de Ivy no primeiro livro. Se vc pesquisar na internet, com certeza acha alguma coisa sobre esse assunto!

Jossi disse...

Sim, a continuação existe! É esse mesmo, Jonatas. "Por Amor a Audrey Rose". Estou lendo o ebook, e eis aqui a sinopse:

"Por Amor a Audrey Rose retoma a narrativa, mostrando a reação dos pais diante daquela tragédia. Qurm mais sofre é o pai, Bill Templeton, que termina tendo um colapso nervoso, o qual evolui rapidamente para a insanidade mental. tendo iso buscar alívio e compreensão das coisas da vida no jainismo e depois no lamaísmo, julga, por fim, entrever a 'realidade': Ivy deve voltar para cumprir uma nova vida. Sua idéia fixa é encontrar uma menina que tenha nascido justamente na hora da morte de Ivy - seria a encarnação dela. Mas a busca obsessiva de Bill não só falha nos seus objetivos, como também contribui para piorar seu estado mental.: depois de se ver privado da pequena Juanita, é internado num sanatório para loucos.

Por sua vez, Janice Templeton procura, igualmente, a mesma 'realidade', e para tal parte em busca de Hoover, que fora viver entre monges na Índia. Consegue, por fim, descobri-lo, convence-o a voltar, para ajudá-la na cura do marido. daí em diante, o romance se desenrola num crescendo de emoção e suspense, até o clímax final."

*Obs.: Estou no começo e até agora, gostando muito. Há um suspense e uma ameaça nítida que paira sobre o casal Templeton: Bill, obcecado e meio doido. Janice, tendo pesadelos... a história da morte súbita e brutal da "segunda vida" de Audrey Rose (Ivy) ainda os atormenta e eles não se conformam. Ainda não encontrei nenhuma resenha na internet, mas assim que terminar a leitura, postarei aqui no blog (e um link para o ebook, se quiserem).

Mas procurem também em sebos, o livro vale muito a pena! É um classicão do terror. ;)

KAMALEOA disse...

obnrigadaaaaaaaaaaaaa

KAMALEOA disse...

OBRIGADAAAAAAAAAA

Jossi disse...

Olá, Kamaleoa! Fiz uma resenha, onde você encontra link para os arquivos em ePub e RTF:

http://romance-sobrenatural.blogspot.com.br/2016/03/frank-de-felitta-por-amor-audrey-rose.html