Clive Cussler - Morte na Atlantida


Morte na Atlântida - O encontro do reino perdido - Clive Cussler


Editora Geração Editorial.

Um cometa choca-se contra a terra, que estremece. Tempestades de fogo destroem florestas em todo o mundo, vulcões adormecidos cospem toneladas de lava, todos os mares se revoltam e ondas gigantescas laçam-se sobre os continentes, que se deslocam. Milhares de espécies animais e vegetais são extintas. A Terra não havia sido devastada com tanta violência desde o choque contra um meteoro, 65 milhões de anos atrás, na catástrofe que exterminou os dinossauros.

O QUE ACHEI:
A sinopse é tão breve, tão breve, que você não faz ideia do que tem dentro do livro - e isso, claro, é 99% mais do que você imagina ao ler a sinopse.

A aventura é de Dirk Pitt (a maioria desta série de aventuras é do mergulhador, oceanógrafo e pesquisador Dirk Pitt) e como manda a regra, muita aventura, ação, ação e um pouquinho de suspense.

Eu já tinha tentado ler outro livro do autor, mas ele tem o costume de iniciar os livros com um tremendo suspense e um belíssimo mistério... a gente rói as unhas, intrigado e querendo saber, a todo custo, do que se trata. Parece que vai ser algo estilo "Alien" (Dean Foster) misto de "Jurassic Park"... ficção científica e terror. Mas não é beeem assim.

Aqui, o mistério se inica quando, há uns dois séculos, um navio baleeiro vai para a Antártica, onde o capitão do navio Paloverde descobrirá um outro navio... fantasma. Bem, não exatamente o capitão, mas esposa dele, Roxanna.

O início do capítulo já é adrenalina e suspense puro:

ROXANNA MENDER SABIA QUE morreria se parasse de caminhar. Estava perto da exaustão total e continuava apenas pela força da vontade. A temperatura estava bem abaixo do zero, mas era a combinação da temperatura e da velocidade das rajadas frias provocadas pela ventania gelada que mordia sua carne. A sonolência mortal que a invadia suavemente sugava aos poucos sua vontade de viver. Ela continuou andando, colocando um pé na frente do outro, tropeçando quando perdia o equilíbrio por causa de uma brecha inesperada no campo de gelo. Sua respiração vinha em arfadas ofegantes e ríspidas, como a de um alpinista que luta para chegar ao topo do Himalaia sem equipamento de oxigênio.

Este primeiro capítulo é ótimo! Muito suspense, Roxanna quase morrendo congelada, mas depois conseguindo salvar-se. O melhor, porém, é quando encontram o tal navio fantasma, que contém provas incríveis e muito esquisitas sobre uma outra civilização...

Muitas décadas depois... Dirk Pitt vai entrar na história. Ele e seu amigo, Albert, e outros tantos (e bota tantos nisso) personagens. Uma descoberta arqueológica de valor incalculável para os historiadores, uma organização secreta, nazista e louca, o apocalipse, a chegada de um meteoro que vai destruir a terra e por fim a tudo... E no meio de tudo isso, o inigualável Dirk Pitt, inteligente, rápido, ágil, bonitão. Ele vai em busca de todos esses segredos, tanto atuais quanto antigos e vai desvendando, um a um, até que... 
sur les flos, by gerry and me - deviantart.com


Haverá um confronto, entre o americano (que aqui é o herói, ao contrário do livro "Cardume", onde americanos eram os viloões e os heróis eram os alemães) e o alemão, Karl Wolf, dono da Destiny Eterprises, uma multinacional mega-multi-milionária, que está tentando moldar, literalmente, o destino e as catástrofes do mundo.

O livro me cansou em vários trechos, pois tinha muita, muita ação (e eu prefiro romance-suspense-sobrenatural). Mas eu li até o final, porque o autor é bom mesmo, e você visualiza tudo como um filme (acho que esses livros são realmente escritos no intuito de, futuramente, se tornarem filmes, então você lê algo mais ou menos tipo roteiro de filme).
Não dá para desmerecer Clive Cussler, que cria todo tipo imaginável de perigos e lutas. Sem falar de algum mistério, que vai envolver as descobertas do continente (ou seria mundo?) perdido de Atlântida. Ou dos amenes, como são chamados aqui.

Nota 8.0.
Share:

2 comentários:

Tenshi Aburame disse...

Eu amo Clive Cussler.
Ele é um dos poucos que me prende numa história que não é sobrenatural! Só Júlio Verne (meu "mestre" em sci-fi e vertentes xD) e Agatha Christie já conseguiram isso comigo xD
Morte na Atlântida foi o primeiro dele que li. Ouro Inca, Terror nos Mares e outro que não lembro o nome no instante são outros livros dele que li, mas a lista dos que quero é bem grande, incluído O Espião e O Reino, lançados recentemente xD
Gosto muito da forma como ele escreve e todo o mais xD

Amor e Livros disse...

Oi, Tenshi
Pois é, eu gosto do estilo dele, apesar de achá-lo mais ou menos cansativo em certos trechos. Geralmente ele começa um livro com uma guinada súbita nos acontecimentos (um momento de aventura incrível, um momento de suspense, um mistério, um evento anormal que deixa todo mundo abalado e surpreso) e depois diminui o ritmo. É quando Dirk Pitt entra em cena (pelo menos foi assim nos livros que li sobre esse herói). Durante a história varia, às vezes é mta aventura de uma só vez, em outras... é mais monótono. No total, porém, ele é um ótimo escritor, cheio de esquemas e ideias criativas. E com muita adrenalina em todas as páginas.
:)