Jane McCarthy - A maldicao de Carlotta

   Um castelo antigo, uma maldição e uma trama sinistra. Ingredientes para um suspense dos bons!


 Brooke é a herdeira de um velho castelo sobre os penhascos do oceano Pacífico. Aí, nessas antigas ruínas, alguém tenta matá-la. E ela jamais poderia suspeitar de onde vinha o perigo...

O QUE ACHEI:
Pela sinopse curtinha e singela não se pode avaliar o quanto a estória é curiosa e nos prende, do início ao fim.

Essas curiosas coleções da Ediouro, dos anos 70 e 80,  são verdadeiros tesouros de publicações raras, a maioria até que bem escrita e cujos temas e estilos não se encontram mais hoje em dia, seja em livros densos ou livros de banca.

Capa da edição original

Essas autoras, a maioria já falecida hoje em dia (uma pena!) sabia criar bons enredos para os chamados "romances góticos", que tinham sempre como elementos indispensáveis: uma heroína frágil, um vilão que se mantinha quase sempre oculto durante quase toda a trama e uma casa, mansão ou castelo antigo, sinistro e algumas vezes, assombrado... Esses ingredientes sempre funcionam muito bem como chamarizes, podem observar isso nos filmes de terror, ou até nas modernas minisséries.

Onde houver uma protagonista bonitinha e em perigo, um herói, um vilão e uma casa mal-assombrada, há sempre uma boa aventura à vista e leitores ou telespectadores ansiosos para acompanhar a história. Isso acontece até mesmo nos romances mais modernos, como na saga "Crepúsculo", com a bela Bella, o seu "garboso vampiro" e a sinistra casa dos Cullen; não li toda a saga de "Diários do Vampiro", mas havia também uma casa sinistra e mais um cemitério na história, estou certa? Na série "The Hollow" de Jessica Verday há igualmente um cemitério - parece que as modernas histórias góticas substituiram parcialmente os castelos e mansões por cemitérios.
E por aí vai... 

Voltando a esse livro: A moça protagonista, Brooke, é vítima de uma conspiração que, ao que tudo indica, foi motivada pela ganância de alguém de suas relações por causa da sua herança. O Castelo de Carlotta, como ela o chama, é uma construção em estilo mourisco, próxima do litoral e de um perigoso penhasco onde, segundo a tradição da família de Anza (o lado espanhol dos ancestrais de Brooke), a bela Carlotta se suicidou.

Além das lendas familiares, há ainda as lendas locais, dos moradores que dizem ser o castelo assombrado. Nada disso afasta Brooke de lá, pois pretende arrumar e limpar o edifício para doá-lo a uma ordem religiosa.

Junto com ela, na tal empreitada, foi o marido - com quem ela se casou há pouco tempo - Piers e sua amiga, a modista Helene, uma mulher charmosa, glamurosa e elegante. Depois de algum tempo, surge outro personagem na história, um primo que Brooke nem imaginava existir: Thurston.

Lá, naquele local isolado, ela será vítima de três atentados contra sua vida, além de ver ou imaginar ver, o fantasma de Carlota. Junto com ela e seus companheiros, também estarão presentes na história três freiras que vieram da Alemanha para prepararem o terreno para a Madre Superiora. Ao que Brooke pode entender, já que o inglês das freiras era parco, a Madre caíra doente... além disso, ela pouco conseguiu compreender do que as religiosas disseram. Mesmo assim, mesmo achando as irmãs um tanto esquivas e pouco dadas ao trabalho doméstico, ela cuidou para que se sentissem bem, propiciando-lhes alimentos, camas, e todo o conforto possível.

O trabalho e a boa disposição de Brooke, porém, de pouco lhe valeu. Ela percebeu - um pouco tarde - que alguém... ou algo... a queria morta. Imaginou se a "maldição de Carlotta" estava a persegui-la, já que ela herdara o castelo onde tantas tragédias tinham ocorrido. E dentre as pessoas da quais passou a suspeitar, estavam seu marido (que ela amava ternamente) e seu primo Thurston (que era um herdeiro também e receberia de bom grado a herança toda, se ela morresse).

A história lembra vagamente as de Agatha Christie, com a diferença óbvia de que não tinha a profundidade e a genialidade das escritas pela Rainha do Crime. Mesmo assim, valeu a pena. Para um romance de banca, é nota 9.0.

Share:

0 comentários: