Filme - Nao tenha medo do escuro


SALLY HURST (Bailee Madison) é uma criança solitária e curiosa, que foi morar com seu pai Alex (Guy Pearce) e Kim (Katie Holmes) numa mansão do século 19. Um dia, enquanto explorava a enorme propriedade, ela descobre um local escondido e isolado, desde que o construtor da residência desapareceu um século atrás. É quando a menina acaba libertando estranhas criaturas que pretendem levá-la para o mundo das trevas e precisa convencer os adultos de que não se trata de uma fantasia, mas de uma assustadora realidade.

Título original: Don't Be Afraid of the Dark
Ano: 2010
Produtor: Guillermo del Toro (de "O Labirinto do Fauno").

O QUE ACHEI

Um filme que é mais suspense que "terror nojento", como eu costumo chamar aos filmes onde a violência gratuita e o sangue imperam. Aliás, esses eu nem assisto mais: Desde mal-estar a náuseas, o terror nojento além de não dar medo, ainda baixa o meu astral e me desanima. Eca.

 A mansão onde moram os pequeninos demônios das trevas...


 Esse filme aqui tem todos os ingredientes do bom suspense, embora no final tenha o velho ingrediente "trash" que decepciona alguns. Porém, é um filme para adultos, embora tenha uma menininha como protagonista.
Eu adorei a pequena Sally, que provoca muito dó nos espectadores. Para começar, a casa é a típica mansão vitoriana assombrada, e no que  Alex, Kim e Sally entram nela, eu me perguntei: "De novo, outra mansão sinistra? E esse cara vai levar a filhinha dele pra isso aí?"

 Sally, Kim e Alex visitando o macabro porão, repleto de teias de aranha, sombras e... outras coisinhas.

A menina vai ser protagonista e única testemunha dos funestos acontecimentos que virarão a vida deles de pernas para o ar. Ela será a  única que verá os monstrengos que vivem na escuridão da casa, e só a madrasta, Kim, começará a acreditar nela, após certo tempo.

Um filme bastante bom, com cenário convincente, cheio de sombras, porões velhos, lugares misteriosos. Elenco perfeito, atuação dos atores impecável, enredo interessante.

Nota 8.



Share:

2 comentários:

Arismeire Kümmer Silva disse...

Eu fiquei agoniada com a estupidez do pai da menina, no filme, e algumas outras coisinhas. Mesmo depois de ver as criaturas e de perceberem que elas querem a criança, eles continuam na casa ;-P
Acho que vou ver a versão original, para comparar :-)
Bj, Aris.

Amor e Livros disse...

É mesmo! E outro absurdo: a menina consegue fotografar com uma Polaroid as tais criaturas, durante a festa, lembra? E por quê ninguém viu as fotos? E por quê ninguém viu quando ela conseguiu esmagar uma delas? Só nos filmes, mesmo, rss... os bichos correndo pra todos os lados, mas ninguém via nada, só a coitadinha da menina,rs.
Bjs
:)