Filme - A Casa Amaldicoada - resenha


Eleanor Lance (Lili Taylor), uma mulher bastante solitária que tem insônia, resolve atender ao chamado de ir até Hill House para se encontrar com o Dr. David Marrow (Liam Neeson), que vai fazer lá uma experiência com ela. Lá estão também Theo (Catherine Zeta-Jones), uma bela mulher bissexual que aparenta ser bastante independente, e Luke (Owen Wilson), que sente-se atraído por Theo e o primeiro a perceber que o estudo não tem nada ligado a problemas de insônia. Eleanor, ou melhor Nell, como gosta de ser chamada, é a pessoa mais sensível do grupo e sente-se fortemente atraída pela casa. O grupo é avisado que ninguém chega perto da mansão quando escurece, assim ninguém poderá ouvir seus gritos. Eles acham o aviso estranho mas logo o entendem, quando se deparam com estranhos acontecimentos, principalmente Nell, que ouve vozes de crianças pedindo para serem libertadas. Gradativamente eles descobrem o terrível segredo, que envolve a Hill House.

Título original: The Haunting
Direção: Jan de Bont
Elenco: Liam Neeson, Lili Taylor, Catherine Zeta-Jones.

O QUE ACHEI:
Um remake de "Desafio do Além", de Robert Wise (filme excelente mesmo sem grandes 'efeitos), que por sua vez foi baseado no livro (raro esse livro, por sinal) "A Assombração da Casa da Colina", de Shirley Jackson, considerado o supra sumo do terror (fiquei sabendo desse livro aqui mesmo pelo blog, através da amiga Aris, que já o leu).



Este filme é, conforme li nas opiniões de outros que assistiram, uma mistura de "Harry Potter e Poltergeist". Achei essa definição adequada, porque realmente tem efeitos especiais muito interessantes e que lembram os filmes da série potteriana.

O enredo é curioso, com a premissa de um terror à la "Poltergeist, o fenômeno", porém com mais fantasia do que exatamente terror e medo. Esse é o diferencial desse filme para outros filmes de fantasma: mais fantasia. Entretanto, como todo 'bom' filme de horror moderno, tem seus momentos macabros e assustadores, principalmente da metade para o final, embora não tenha nenhuma característica de "bom filme" no sentido de ter sido "bem construído, bem feito, bem dirigido", segundo a crítica.

Eleanor vai para a Casa da Colina a fim de participar de um "experimento" feito pelo Dr. Marrow, que está realizando estudos sobre o medo. Mas para os participantes da experiência, ele diz tratar-se de "estudos sobre a insônia", o que já de cara mostra que ele age de má-fé. Mas o homem não é do mal, ao contrário.

Quando todos começam a mostrar os verdadeiros sinais de medo, Marrow percebe que Nell (Eleanor) parece ser a mais afetada, e tanto ele quanto os demais notam que a moça, mesmo gritando durante a noite e dizendo que ouviu ruídos e viu coisas esquisitas, é fascinada pela horrenda mansão.

A casa é outro ponto forte do filme: Na verdade, trata-se de uma casa em Grantham, na Inglaterra e pertencente a Universidade de Evansville. Mas é esquisitíssima! Um verdadeiro museu do horror, com sua arquitetura gótica, suas esculturas bizarras e os nojentos (pelo menos, eu acho) 'anjinhos' esculpidos em todos os cantos. Que mais parecem anjos de cemitério. Um mausoléu que mete medo só de olhar.

Mas enfim, o filme é bom entretenimento para uma tarde insípida, não figurando, claro, entre os grandes clássicos do cinema por conta do mau gosto geral e do enredo fraco e não convincente. Isso é compensado - em parte - pelos bons efeitos especiais que nos deixam pelo menos curiosos. São muito bons, apesar de o contexto/enredo não combinarem com tais efeitos, causando uma especie de 'conflito' geral: O filme inicia num clima de suspense light, com personagens mais ou menos comuns e numa gradativa evolução para um suspense macabro, culmina com todos aqueles exagerados efeitos. O resultado final é o espectador acabar dando algumas risadas (como eu fiz) ao perceber que o suspense descamba para uma fantasia bizarra e meio ingênua.

O final, seguindo a regra geral dos finais "trash" - como diz meu filho de 14 anos - é decepcionante. O final da história de Nell, quero dizer.

 Para resumir e dar um parecer geral: Se você quer se entreter, sentir alguns calafrios e depois sorrir com a bizarrice final, é um bom filme.
Nota 7.
:)

Share:

2 comentários:

Arismeire Kümmer Silva disse...

Se você gosta de filmes com casas assombradas e ainda não viu, Rose Red é uma boa pedida. Stephen King escreveu o roteiro e o charmoso Julian Sands atua nele :-)
Bj, Aris

Amor e Livros disse...

Epa, que legal. Vou procurar esse filme, hehehe. Obrigada pela dica, Aris!
Bjs
:-)