Susan Hill - A Mulher de Preto



O jovem advogado Arthur Kipps, contratado por Crythin Gyfford a atender e cuidar dos papéis da recém-falecida Sr. Alice Drablow, uma viúva idosa que vivia sozinha na solitária e afastada Eel Marsh House. Enquanto trabalha na casa, Kipps começa a descobrir seus trágicos segredos. A situação piora quando ele entende que o vilarejo é refém do fantasma de uma mulher magoada, em busca de vingança.

TÍTULO ORIGINAL
: THE WOMAN IN BLACK
EDITORA: Record
IDIOMA: Português
PÁGINAS
: 208
ANO DA OBRA/COPYRIGHT: 1983
ANO DE EDIÇÃO: 2012

O QUE ACHEI:
Simplesmente excelente, perdão pela rima. Um livro muito bem escrito, que traz o verdadeiro ingrediente do terror: O suspense bem dosado, espalhado através das páginas com cuidado e precisão.

Um livro que foi escrito em 1983 e que talvez tenha sido publicado apenas agora, por causa do filme.

O ritmo, o tom, a atmosfera, tudo na história me fez relembrar de outras excelentes leituras, todas de autores ingleses ou anglo-americanos, como por exemplo, Henry James.  Aliás, o início da narrativa é muito, muito parecido com o início do livro "Os Inocentes" ou "A Volta do Parafuso", do referido autor, onde também existem crianças indefesas perturbadas por fantasmas. E que inicia, igualmente, com um grupo de pessoas contando histórias de fantasmas, coisa que, ao que parece, era hábito entre jovens ingleses do século XIX.

O livro não difere muito daquele de Henry James e não chega a causar "horror" propriamente, como os livros mais modernos, mas deixa o leitor imerso na atmosfera daquela Inglaterra brumosa, úmida, gelada e antiga, a ponto de sentir-se na própria pele os arrepios de Arthur.

O jovem advogado vai prestar um serviço para sua firma de advocacia numa cidadezinha do interior da Inglaterra, mais precisamente na casa de uma cliente falecida há pouco, a sra. Drablow.

Desde o início, quando Arthur (um homem idoso) resolve narrar sua terrível experiência, vivida quado jovem, a nossa expectativa cresce, mais e mais. O clima, no começo é suave, não existem monstros no pântano, nem alarde no vilarejo, cujos moradores simplesmente se recusam a tocar no assunto "sra. Drablow" e afins. Não existem zumbis perigosos espreitando entre as tumbas, nem fantasmas feios esvoaçando à noite, nos quartos. Pelo menos no início.


Arthur vai tomar conhecimento do "fantasma" sozinho, e mesmo quando a vê, ele não saberá que era um fantasma. Supõe tratar-se de uma mulher jovem e doente, que comparece no funeral da sra. Drablow.

O pior, porém, irá acontecer na mal afamada Casa do Brejo da Enguia, onde a cliente morava, e onde Arthur terá de ir, para procurar por documentos relativos aos bens da falecida.

Ele vai notar que ninguém, no vilarejo, tem a mínima vontade de acompanhá-lo até o tal local, e quando ele lá chega, levado em uma carroça por um morador, percebe que a tal casa realmente mete medo. Entretanto, como um jovem arrogante e sem querer dar mostras de acreditar nas "superstições" do povo, ele decide se meter lá e investigar a papelada.

As coisas que ele passará, nas poucas vezes que visitar a Casa do Brejo da Enguia (eu daria outro nome, "Casa onde as Vacas vão pro Brejo"), irão marcá-lo pelo resto da vida.

Eu li o livro rapidinho, em menos de um dia, pois tem uma narrativa deliciosamente gótica, estilo que adoro.

O terror não está propriamente nas aparições, mas no suspense, que vai se avolumando à medida que o livro se aproxima do fim.

Como Arthur estava vivo e já ancião, eu imaginei que, afinal, a história da bruxa de preto não podia tê-lo afetado tanto assim... Porém, ao chegar ao final, entendi bem os motivos que o deixaram tão impressionado, tão assustado, a ponto de ele ter caído doente e jamais ter tido paz. A ponto de ele se recusar a contar a experiência para ninguém. Ele teve bons motivos, com certeza. Eu, no lugar dele, teria ficado completamente louca.

O clima é tenso e as sensações provocadas pela leitura vão perdurar na cabeça do leitor, bem como perduraram na cabeça de Arthur. É um clima muito, muito macabro, pois é resultado de uma tragédia ocorrida num passado remoto, quando a sra. Drablow ainda era jovem e a referida "mulher de preto" também o era. Trata-se, afinal, da vingança de uma mulher, que passou por uma situação tão terrível, que enlouqueceu. E depois, se transformou naquele fantasma repleto de maldição e aura maligna, que destrói a todos que o enxergam.

O livro é bom, um dos melhores que já li relativo ao tema sobrenatural. Nenhum romance teen, romance vampiresco, zumbizesco ou fantástico se compara a este, pelo menos para mim. Adorei o clima sombrio, tenso e de mau agouro, pois nos atinge em cheio.

E mesmo dias depois da leitura, muitas perguntas ficaram no ar e eu me perguntei: Por quê Jennet passou a culpar a irmã por algo que ela, na verdade, nem teve culpa, mas foi apenas um acidente? E por que, céus, uma pessoa normal (pelo menos a sra. Drablow devia ser normal no começo, quando se casou) ia querer morar naquele mausoléu, cercado de pântanos e banhados e brumas que surgiam sem mais, nem menos? E que tantos poderes seriam esses que o tal fantasma tinha, a ponto de...  bem, pra mim o fantasma tinha poderes demais. Ela já estava até parecendo a própria deusa Kali, deusa hindu da Morte.

Mas nada de spoilers. Se eu continuar escrevendo, vou causar danos a quem ainda não leu. Portanto, tratem de ler. Pode até ter alguns trechos mais ou menos chatos, minuciososo demais em descriçõs,mas tudo isso faz parte, para dar o clima.

Nota dez!


Share:

5 comentários:

Arismeire Kümmer Silva disse...

Você já leu A assombração da casa da clina, de Shirley Jackson? Fizeram um filme perfeito em 1960. Dá calafrios, com aquele terror gótico que mais sugere e realmente assusta. Recomendo se vc gosta do gênero :-)
Bj, Aris.

Jossi Borges disse...

Oi,Arismeire!

Não li esse ainda,não. Shirley Jackson? Nossa, me mande os dados, por favor, rss... adoro livros de assombrações e clima de suspense! Será que acho nas livrarias ou nos sebos? Será que tem ebook? Rss... fiquei curiosíssima!

Bjos e volte sempre.

:D

Arismeire Kümmer Silva disse...

Jossi, tem para vender na estante virtual e no Mercado Livre:
http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-237332394-a-assombraco-da-casa-da-colina-shirley-jackson-_JM
Infelizmente é caro, porque é raro. O meu consegui futricando nos sebos e consegui baratinho, felizmente :-)
Bj, Aris.

Amor e Livros disse...

Aris! Menina, você é realmente um "ás do gatilho livresco", rss... você descobre livros incríveis! Fiquei encantada pelas resenhas que li sobre esse, de Shirley Jackson. Fui no ML, mas quase caí dura de susto: R$90,00, afff. Não posso, no momento, mas vou vasculhar sebos e livrarias, até encontrar.

De repente, alguma editora resolve relançar, aí os preços baixam, as até lá vou fazer minhas buscas!

Rs. Obrigada pela dica e pela participação!

Bjs
:)

Arismeire Kümmer Silva disse...

Bom, meninas, coloquei a resenha deste livro no blog, com links para outro blog que fez uma análise aprofundada e perfeita da obra e um blog que comenta o filme de 1966, do Robert Wise :-)
Infelizmente o livro é caro, sim. Se eu achar em algum sebo baratinho eu compro e depois aviso :-)