Catherine Gaskin - O Vaso Partido


Tudo começou com o ruído inesperado de cristal esfacelado... "O Vaso Partido", resenha

Aquele vaso de cristal é um fino exemplar  da arte da fabricação do vidro. Saíra da fábrica  Sheridan, na Irlanda, que se encontra agora quase parada - os seus melhores artífices estão velhos, a sua construção quase em ruínas e os seus donos sem recursos para levantarem a indústria...
Maura D'Arcy chega a Conclath, onde está a sede da fábrica, para reclamar o valioso vaso que pertencera a sua mãe. A arte de fabricar vidros exerce  um estranho fascínio sobre a jovem...

Connor Sheridan, um homem encurralado entre as glórias do passado  e a dura realidade do presente, procura desesperadamente um modo de salvar o nome de sua família, e na sua determinação incansável de reconstruir a indústria, vê Maura como uma rival perigosa...

Maura D'Arcy é jovem e bonita, no começo de uma promissora carreira como modelo, e descobre ser a última descendente da família Sheridan, de vidreiros famosos. Viaja então para Conclath com o fito de reclamar o vaso de cristal que fora roubado de sua mãe.


Em Conclath, Maura encontra sua avó, mulher forte e autoritária, apesar da idade; Brendan Carroll, autor do roubo, pessoa misteriosa que exerce sobre ela forte atração; o rico alemão Otto Praguer, residente nas imediações da cidade, e seu primo Connor, um homem ambicioso que tem como objetivo maior herdar a indústria vidreira dos Sheridan, e tudo fará para livrar-se de qualquer empecilho que se apresente.

O QUE ACHEI, resenha:

O primeiro romance dessa grande escritora irlandesa, nascida em 1929 e autora de 21 romances que mesclam mistérios, sobrenatural, cenários magníficos, paradisíacos ou sombrios e muito romance.


Nesse livro, Catherine Gaskin fala de uma moça corajosa e forte, que volta à terra de seus ancestrais em busca de um objeto 'furtado' de sua loja de antiguidades. Lá, ela conhece a mansão dos Sheridan e Lady Maude, sua avó materna. É uma relação complicada entre as duas, pois Lady Maude, autoritária, obstinada, nunca perdoou o "erro" da sua filha, ou seja, o fato de a filha ter se unido a um homem que ela não aprovava. E Maura, sendo fruto dessa união, também foi rejeitada pela velha e amargurada senhora.

Mas isso não é todo o enredo. Um homem enigmático, um irlandês moreno e de modos sombrios, Connor, surge na vida de Maura. Ele é seu primo, e um dos herdeiros da fábrica. Outro homem que surge é Brendan Carroll, e ambos, de uma forma peculiar, tentam conquistar o coração de Maura.

O moreno Connor é quem a beija mais apaixonadamente... porém entre eles surge o fantasma da linda e loura Lotti - falecida esposa de Connor, alguém que provavelmente pode ter tido uma  influência muito negativa sobre ele.
Simple Life, by Marinshe

Um romance bem escrito, com emoções encobertas pela maneira formal como os personagens reagem, uns aos outros. Porém fascina, pois deixa o leitor torcendo ora por um final, ora por outro... Mas, no fim, vemos que Maura fez uma boa escolha.

Ótimo livro, devia ser reeditado.
Share:

4 comentários:

Arismeire Kümmer Silva disse...

Tenho este livro, mas o meu favorito dela é A Governanta :-)

Jossi Borges disse...

Oi, Aris! Temos gosto parecido. Eu também A-DO-REI "A Governanta"! Um romance de amor, suspense, drama e aventura. Lindo!

Arismeire Kümmer Silva disse...

Hehehehhe, pois é, temos gostos parecidos sim. Além destes dois eu gosto de Herança Maldita e Um Falcão para a Rainha :-)
Bj, Aris.

Jossi Borges disse...

Então, Aris! Também li "Herança Maldita", e "Um Falcão para a rainha" está na fila, hehehe. Estou lendo agora "A Herança Tilsit", e a resenha tá saindo do forno. É uma ótima autora, com poucos livros que eu deixei de gostar. A maioria deles é bem escrita e são muito profundos, com lances psicológicos bem bolados!
:)