Tom Knox - O segredo do Genesis


Sinopse:
Num recanto remoto do Curdistão turco, está uma das mais extraordinárias descobertas da humanidade; Gobekli Tepe, um santuário mais antigo do que Stonehenge e as pirâmides do Egito - e que aparenta ter sido enterrado propositalmente há 10 mil anos. Em vários pontos das ilhas britânicas, pessoas estão sendo mortas sem motivo aparente e com requintes inacreditáveis de crueldade. Técnicas milenares de tortura, que remetem a antigos sacrifícios humanos e pareciam estar relegadas às páginas dos livros de História, ressurgem e abrem uma trilha de horror em pleno século XXI. O inspetor Forrester, da Scotland Yard, designado para o caso, achava já ter visto de tudo depois de tantos anos na polícia. Mas a série de assassinatos que investiga põe toda a sua experiência em xeque.

Ano: 2010
Número de Páginas: 370
Editora: Suma de Letras

O QUE ACHEI:
Rob Lutrell é um jornalista americano, que vive na Inglaterra e vai para o Curdistão, em busca de uma reportagem "da hora". Cai num sítio arqueológico que fuça numa escavação, Gobekli Tepe, onde conhece uma arqueóloga francesa, Christine e fica conhecendo uma das mais antigas ruínas da história da humanidade. Segundo os arqueólogos, Gobekli traz um grande mistério à tona, pois se trata de um local que, segundo as lendas regionais, foi o "Jardim do Éden", o berço dos primeiros seres humanos do planeta, porém... que caiu em desgraça. Foi enterrado deliberadamente pelas gerações posteriores, por abrigar... algo. Algo estranho. Uma maldição, talvez? Ou mistérios que a humanidade não deveria conhecer jamais? É isso o que os arqueólogos, e depois, Rob, querem saber.

Sinai Desert by Sortvind


E o leitor também, óbvio. Mas o livro não é uma simples história de escavações e/ou maldições. E/ou investigações policiais. É muito mais que isso. É um livro muito forte, que traz descrições horrendas de assassínios, homicídios cometidos das maneiras mais brutais e sádicas que uma imaginação humana é capaz de criar. E tais assassinatos seguem um rastro de sangue antigo, indo de várias regiões da Europa, famosas por serem cemitérios antigos ou locais de holocaustos cruéis, até o Oriente Médio...

Eu gostei do suspense, mas odiei a riqueza de detalhes que o autor fez dos crimes monstruosos: Dava para passar sem isso. O livro seria mais suave, o clima nauseante seria menor...

Independente disso, todo o resto é muito, muito arrebatador. Correndo atrás do monstro homicida, o detetive Forrester, da Inglaterra, é um homem assombrado pela perda da filhinha, uma perda que ele superou a duras penas, e quando o horror maior da história acontecer, com Robin e sua família, o detetive se verá diante de um grande desafio.

É um excelente livro (com exceção das cenas em que o monstro assassino aparecer, com seus crimes e suas torturas), mas você precisa ter estômago de avestruz.

No final, o grande segredo será revelado. É algo interessantíssimo, do ponto de vista antropológico, social, moral e religioso, mas preprem-se... é uma grande surpresa.



Share:

2 comentários:

Aris disse...

Eu li algo do gênero, creio, uns anos atrás; o título é Luar e descrevia as mortes de crianças com requintes de crueldade. O protagonista tinha uma espécie de elo mental com a criatura que cometia os crimes. Muito assustador. Eu lia de noite e levava cada susto :-)

Jossi Borges disse...

Aris, não deixe de ler esse livro. Se não comprar, experimente procurar pelo ebook, acho que tem. É terrivelmente assustador, mas do tipo que te prende!
;)