Betty Hale Hyatt - Meu atraente vizinho


Uma linda propriedade na Cornualha e uma trama envolveram Camille...

Para a adorável Camille Todd a vida parecia um sonho que se transformara em realidade. Um tio, que nem chegara a conhecer, lhe deixou, ao morrer, uma vasta propriedade no litoral de Devon. Mas, em pouco tempo, Camille despertaria para o terrível perigo que cercava sua nova posição. Alguém apertava um laço de terror à sua volta. Sua herança não foi uma bênção, mas uma sinistra maldição do passado sombrio.

O QUE ACHEI:

Um romance gótico que, a princípio, nos engana direitinho, com o desenrolar lento e quase monótono da história.

Camille Todd herdou uma linda propriedade de seu tio, Wainscote Hall, no litoral de Devon. Por essa descrição, dá até para sentir-se transportado para aquele cenário de beleza selvagem e envolvente:

Wainscote Hall. Até o nome provoca arrepios na minha espinha. Antes, a propriedade de um fazendeiro abastado, e agora minha casa, colocada em um adorável jardim, sobre uma região alta e solitária da costa norte de Devonshire, onde cotovias gorjeiam e andorinhas entram e saem dos telhados, onde gaivotas guincham, estridentes, enquanto voam sobre as enseadas de águas tão azuis, quando o sol cintila sobre a rebentação, as ondas batendo contra as rochas abaixo dos penhascos.

Uma paisagem da Cornualha, tão intensa quanto nostálgica, que nos faz lembrar de As Brumas de Avalon e tantas histórias contadas pela História da Inglaterra, que nos faz suspirar...

Eu gostei, embora, como disse, no começo a história seja monótona. Romances góticos, em geral, sempre tem uma mocinha heroína e um vilão (ou vilã) terríveis, uma propriedade sombria e alguma historiazinha sobrenatural, de quebra.

Essa não foge à regra. Wainscotte Hall é uma propriedade magnífica e Camille se encanta com ela, até conhecer seu vizinho, um rapaz bonito e misterioso, Sir Troy, da propriedade vizinha.

Uma complexa trama familiar envolve-os, algo meio confuso que, a meu ver, só serviu para desestruturar o romance. Enfim, os parentes defuntos de Troy e Camille estavam envoltos em brigas, violência, conspirações e assassinatos, e isso por si já é algo irritante, uma vez que pertece ao passado e pouco poderia influenciar no presente.

Porém, a chegada de uma linda espanhola à Wainscott Hall, Juanita St. Clair Todd, aparentemente traz o passado à tona, fazendo todos na região viverem dias sombrios e perigosos... e Camilla é a maior vítima dessa trama sinistra.

Aqui é que começa a verdadeira história de suspenses e sustos, que nos deixam curiosos para saber "quem é quem" na história. Quem seria Juanita? Qual a verdadeira situação dela, em relação ao Sr. Taddeus Todd? E que haveria agora, entre a maliciosa espanhola e o elegante Troy? Camilla estará em perigo? Sim, estará.

Muitas cenas sombrias, perigos ocultos, fugas através de campos e florestas e passagens secretas, um amor que pode ser verdadeiro ou falso e a sombra de um (ou vários) crimes, dão o tom a essa história curiosa, que nos transporta à Inglaterra vitoriana com seus personagens vívidos. Muito bom!







Share:

4 comentários:

Aris disse...

Eu li este livrinho alguns anos atrás e, com exceção da cartada "loucura", que muito me irrita, eu gostei da leitura :-D

Jossi Borges disse...

Aris,eu também não gostei dessa parte, não. E essa mocinha é muito bobinha, heim?Desde o início eu desconfiei das "poções da bruxa" Juanita, rs.

Fora isso, a trama é legal.

BJOS!

Aris disse...

Promoção nova no Mistério das letras. Sorteio de 5 livros. Aparece por lá.
http://arismeire.blogspot.com/2012/02/sorteio-promocao.html

Aris disse...

Eu estava com seu link antigo, que estava desabilitado ;-p
Acabei de pegar o link novo, hehehe.