Carolina Nabuco - A SUCESSORA


A Sucessora é uma obra de caracteristica psicológica, com um estilo preciso, claro e dinâmico. Procura questionar o valor da mulher, de certa forma presa a um sem-número de tabus e tradicionalismos superados. O caráter feminino em conflito, a mulher dominada pelo ciúme em relação a primeira esposa do seu marido, já falecida - uma das esperanças de Marina, esperança reprimida, mas tenaz, era de um dia encontrar alguma falha na vida de Alice, que a derrubasse do seu pedestal.

Curiosidades
- Uma das melhores produções de época para o horário das 18 horas, com perfeita reprodução do Rio de Janeiro da década de 20.
 A atriz Suzana Vieira, em A Sucessora

A Sucessora tem muito a ver com o filme de Hitchcock: Rebecca, a mulher inesquecível, de 1940, baseado no livro de Daphné du Maurier. No entanto, ao contrário do que se poderia imaginar, foi Daphne a plagiária, já que Rebecca foi escrito alguns anos depois de A Sucessora, escrito por Carolina Nabuco. Há investigações sérias dando conta que, de fato, Daphne leu A Sucessora antes de escrever Rebecca.

- Foi a segunda telenovela a ser reprisada na sessão Vale a Pena Ver de Novo de 17 de novembro de 1980 a 8 de maio de 1981, em 125 capítulos.

- A telenovela A Sucessora ganhou duas versões na América Latina: Manuela, em 1991, na Argentina, e Isabella, una mujer enamorada, em 1999, no Peru.

- A sucessora foi vendida para mais de 50 países, entre eles Angola, Holanda, Itália, Suíça e URSS foi considerada um grande sucesso no horário das 18 horas.
===================

O QUE ACHEI:
Quando li o livro de Carolina, apaixonei-me pela heroína, Marina. Ela é uma moça tímida, romântica, mas assustada com o mundo dos ricos e poderosos, e ainda mais aterrorizada quando conhece Alice ("a mulher inesquecível" que Daphne Du Maurier plagiou descaradamente...).

O livro nos remete aos anos 20 e nos faz sonhar com os amores de então, e sofrer com a obsessão de Marina, que temia o poder da morta - sempre presente na casa do marido... Alice parecia pairar, como um fantasma adorado por todos, perfeita, linda, educada, sofisticada... Alice parecia ser a única dona e senhora da mansão e até... do coração de Roberto. 

Minha indignação: O livro tão famoso de Daphe du Maurier "Rebeca, a mulher inesquecível" foi um tremendo e descarado plágio. Carolina tinha todas as provas, só não quis entrar na justiça por achar que seria "rebaixar-se", seria um golpe contra seu orgulho de escritora e brasileira. Mas se fosse hoje em dia, acredito que os autores brasileiros não ficariam calados... O plágio, ou roubo de ideia, é algo com que todo autor se preocupa. Esperemos que tais coisas não voltem a ocorrer. VAMOS DIZER NÃO AO PLÁGIO! 


Share:

2 comentários:

Aris disse...

Meu sonho e assistir esta novela mais uma vez ^^
Bj, Aris.

Unknown disse...

Com posso baixar o livro?