Bram Stoker - Drácula


Bram Stoker
DRÁCULA
As histórias de vampiros, amplamente difundidas por todo o mundo, provém do fabulário húngaro do século XVIII. Vampiro, de acordo com a tradição popular, é a alma aflita de um suicida, criminoso ou herege que sai de sua sepultura, em geral em forma de morcego, para beber sangue de seres humanos. O romance gótico Drácula (1897) do autor britânico Bram Stoker, narra a história do Conde Drácula, vilão morto-vivo da Transilvânia, que se tornou o típico representante do mito vampiro. Drácula é um clássico de literatura de horror.


O QUE ACHEI:
Referência principal de todos os escritores vampíricos, esse livro imorredouro foi uma de minhas primeiras leituras de terror fantástico. Fiquei absolutamente maravilhada com os relatos dos personagens e seus envolvimentos com o Conde Drácula. Mesmo tendo sido escrito no estilo epistolar (em forma de cartas, diários, documentos, etc.), o livro tem um enredo cativante. Um clássico, sim. Porque a história do mais famoso vampiro de todos os tempos é um clássico do terror; porque a trama que mistura ação, suspense e romance amoroso tem os temperos clássicos do bom livro; porque o herói, o anti-herói e a heroína correspondem de modo perfeito aos estereótipos que agradam aos leitores, de qualquer época.



Uma das cenas mais arrepiantes do livro, é uma em que Lucy Westenra fica sozinha em casa, à mercê das forças demoníacas que a perseguiam e das quais ela apenas tem uma vaga sensação. E quando essas forças irrompem em forma física, é um arrepio atrás do outro:

Fui acordada pelo barulho de bater de asas contra a vidraça, barulho esse que começou desde o dia em que caminhei dormindo até o rochedo de Whitby e fui salva por Mina. Somente agora começo a conhecê-lo bem.Não tive medo, mas gostaria de saber se o Dr. Seward está no quarto próximo. Esforcei-me para dormir de novo, mas não consegui e fiquei dominada pelo medo. Abri a porta e gritei: "Tem alguém aí?" Ninguém respondeu e, receando acordar minha mãe, tornei a fechar a porta.Então, ouvi, vindo do mato, do lado de fora, um uivo como de um cão, porém mais alto e mais forte. Aproximei-me da janela e vi, do outro lado da vidraça, um grande morcego. Naturalmente é ele que bate de encontro a vidraça. Tornei a ir para a cama, mas disposta a não dormir. Logo depois, a porta se abriu e minha mãe apareceu.- Estava preocupada com você, minha filha, e vim ver se está passando bem. Com medo que ela se resfriasse, pedi-lhe que e deitasse junto de mim, o que fez sem tirar o peignoir, pois pretendia ficar só um pouco e depois voltar para o seu quarto.As pancadas na janela recomeçaram e minha mãe perguntou o que era, trêmula. tranqüilizei-a e ela se aquietou, mas percebi que eu coração batia com muita força. Algum tempo depois, ouvi de novo o uivo e houve um barulho de vidros quebrados. Pedaços de vidro caíram no quarto e, através da vidraça partida, apareceu a cabeça de um lobo. Minha mãe deu um grito, horrorizada, agarrando-se, instintivamente, ao que encontrou mais próximo e, na sua aflição, arrancou a guirlanda que o Dr. Van Helsing colocara em meu pescoço. Seus olhos dilataram-se, denotando um pavor indescritível e, dando um gemido, ela caiu ara trás, batendo com a cabeça em minha esta, o que me fez estontear. Tive a impressão e que tudo estava girando. Fiquei olhando friamente para a janela, mas o lobo tinha retirado cabeça e uma miríade de pequenas manchas parecia entrar entre os vidros quadrados e rodopiar, como coluna de poeira que os viajantes escrevem quando ocorre num no deserto.

O que também é muito interessante, é a história de amor, contada de forma sutil. O amor de três homens pela graciosa Lucy, porém, foi insuficiente para livrá-la do perigoso Conde que a perseguia. Mas fica, nas entrelinhas, a doce nostalgia do amor entre Lucy e Arthur Holmwood, seu noivo.

Romance esse que, no filme "Drácula de Bram Stoker" ("Bram Stoker's Dracula", 1992) foi transferido para Mina Harker.



De fato, no filme a protagonista é Mina, a esposa de Jonathan e amiga de Lucy, e a atração entre ela e Drácula é o foco principal do filme. Na minha opinião, esse filme distorceu completamente a história original do livro de Stoker: No filme, Mina foi uma paixão de Drácula ou Dracul, em uma vida passada, o que, de forma alguma, existe no livro.


Mas é uma leitura obrigatória para os amantes de vampiros, sejam esses modernos, ou clássicos. 


Share:

0 comentários: